Início » Relações discretas e infieis » Traição virtual é uma infidelidade real?

Traição virtual é uma infidelidade real?

Será que sexo virtual é traição? Ou será que a infidelidade pela internet é algo aceitável nos dias atuais? Essas são algumas dúvidas bastante comuns entre casais modernos, tendo em vista o aumento dos casos de envolvimento emocional online.

Separamos um artigo completo sobre o assunto, em que trazemos o conceito de traição virtual, mostramos como ela acontece e como as pessoas estão lidando com isso. Dessa forma você poderá decidir se é ou não traição, mesmo que só pela internet.

O que é traição virtual?

Todo mundo sabe o que é traição. Quando duas pessoas se comprometem uma com a outra, em uma relação monogâmica, a traição é qualquer envolvimento externo a essa relação.

Em outras palavras, trair significa pular a cerca, procurar na grama do vizinho, colocar chifres etc. Essas são algumas das expressões mais usadas para designar a traição, seja ela conjugal, seja entre namorados.

Mas, no passado, a traição era algo que acontecia apenas no mundo físico. As pessoas se conheciam e começavam uma relação paralela, na clandestinidade – até que a pessoa traída se desse conta da existência do amante ou da amante.

As desculpas para permitir a traição, no passado, eram várias. Desde uma viagem a negócios, até uma reunião de última hora no trabalho, tudo poderia ser usado como artimanha para passar um tempo fora de casa.

No entanto, agora as coisas são um pouco diferentes. Com a traição virtual, nem é preciso sair de casa para dar uma escapadinha. Existem ferramentas completamente online que permitem que as pessoas estabeleçam relações, inclusive sexuais.

Sites como o líder em encontros extraconjugais Ashley Madison, ou o popular site de encontros Victoria Milan são bons exemplos de que atualmente, trair o parceiro é muito mais fácil. Um ambiente anônimo e com funcionalidades especiais para facilitar a vida dos comprometidos que buscam aventura.

Muitos afirmam que sexo virtual é traição, outros garantem que essa é uma prática diferente, que deve ser analisada com base em outros parâmetros. Seja como for, parece que a traição virtual é sim uma forma de traição.

Afinal de contas, se o acordo foi que nenhuma das partes teria envolvimentos fora da relação, começar algo online parece uma violação do contrato. Mesmo que não exista o envolvimento físico com outras pessoas, o que interessa é o envolvimento emocional.

Traição é sempre traição

A infidelidade pela internet é um tipo de envolvimento emocional em que as pessoas desenvolvem um relacionamento sexualmente íntimo, mesmo que não se conheçam. Tudo pode começar por uma simples mensagem e terminar com envio de fotos e vídeos eróticos.

O que determina se o sexo virtual é traição é o acordo que o casal possui. Se em uma relação as pessoas definem que não há espaço para mais ninguém, realmente não há espaço para outra pessoa.

A intimidade online pode confundir, pois as pessoas não estão mantendo o sexo tradicional. Ou seja, por mais que exista a troca de mensagens, de fotos, de vídeos e até de chamadas ao vivo, não há conjunção carnal.

Mas isso não significa que não existe sexo. Afinal de contas, o conceito de sexo vai muito além do simples contato entre as partes íntimas das pessoas.

Na verdade, uma traição virtual é muito parecida com uma traição física. Existe envolvimento emocional, as pessoas se afastam, se tornam menos carinhosas e mais divididas etc. Todos os efeitos de uma traição física podem ser sentidos na traição online.

Por isso mesmo, existe um grande número de pessoas que defendem que sexo virtual é traição, não importando se as pessoas realmente se encontraram ou não.

Quando a infidelidade virtual se transforma em traição no mundo real

Nem todas as pessoas que praticam a traição virtual ficam apenas no mundo virtual. Quando duas pessoas começam a ter sexo pela internet, elas podem se empolgar e querer ir além.

Quando a traição online passa para o mundo real, não resta nenhuma dúvida de que estamos diante de uma traição de verdade. Enquanto muitas pessoas podem perdoar o contato virtual, a traição no mundo físico é mais difícil de ser digerida.

Outro problema da traição pela internet é que algumas pessoas podem até mesmo se tornar viciadas em sexo online e no consumo de pornografia.

Esse é um dos aspectos negativos do envolvimento extraconjugal, que pode trazer diversos problemas para a relação, ainda que a traição não seja descoberta.

Microtraição: um novo conceito

Atualmente, fala-se em uma forma de traição ainda mais sutil, que acontece especialmente pela internet. É a chamada microtraição, que acontece sempre que um dos parceiros faz algo pequeno que viola os termos da relação.

Por exemplo, fazer elogios para outras pessoas online, com segundas intenções. Por mais que uma conversa não seja desenvolvida, o simples fato de fazer o elogio já pode ser considerado uma traição.

Outro exemplo de microtraição é não avisar que está em um relacionamento, sempre quando alguém começa a paquerar. Se uma pessoa aceita os elogios e mergulha na paquera só pelo “jogo”, está fazendo algo que não é justo para com o parceiro.

Você acha que o sexo virtual é traição? Cada pessoa tem valores e parâmetros específicos, que determinam o que é certo e o que é errado dentro de uma relação.

Por isso, é importante estar em sintonia com o parceiro, para saber qual é o seu pensamento e o que considerada traição. Assim, caso alguém resolva pular a cerca, o outro poderá tomar uma decisão, com base no acordo com foi estabelecido.