Poliamor: 11 dúvidas sobre esse tipo de relacionamento

Um novo estudo garante que os relacionamentos abertos ofereçam o mesmo nível de felicidade, bem-estar psicológico e satisfação sexual que as relações monogâmicas. Por isso, as dúvidas sobre o poliamor é cada vez maior.

0

O que é Poliamor?

Poliamor é um neologismo que significa manter mais um relacionamento íntimo e amoroso, que pode ou não ser sexual e durar simultaneamente com várias pessoas, com o pleno consentimento e conhecimento de todos os envolvidos. Pessoas que se consideram emocionalmente capazes de tais relacionamentos definem-se como polimorosas.

O poliamor consiste em amar várias pessoas ao mesmo tempo, de forma consensuada, consciente e ética. Os defensores dessa nova forma de amar afirmam que o amor não deve ser algo restrito.

Já que se você ama alguém e deseja o melhor para essa pessoa, isso inclui o fato de que ela possa ampliar sua vida amorosa e sentimental se isso a fizer feliz. A única condição é o amor entre as pessoas e a aceitação da relação por parte de todos os envolvidos.

A palavra poliamor vem do inglês polyamory, que deviram do grego e do latim e significa literalmente: ‘muitos amores’. Esta palavra começou a ser conhecida no início dos anos 90 quando o poliamor começou a se desenvolver como um movimento social de nível global.

Também pode ser chamado de poliamoria. Os adeptos do poliamor são definidos como poliamorosas, poliamoricas, poliamoristas ou simplesmente poli.


Onde conhecer pessoas poliamorosas?

O poliamor ainda é desconhecido por muitas pessoas. Além disso, a maioria das pessoas quando ouve falar em um relacionamento poliamoroso acaba confundindo-o com promiscuidade ou apenas um tipo de prática sexual.

Na verdade ainda existe muito preconceitos e tabus a serem quebrados nessa forma de se relacionar. É por essa razão que não existe um site de poliamor. Ou seja, se você quer encontrar pessoas para viver esse tipo de relação a tarefa pode ser um pouco complicada.

Porém, a boa notícia é que existem alguns sites de relacionamento, que apesar de estarem destinados a encontros picantes, podem ser uma boa ferramenta para encontrar perfis compatíveis.

Já que mesmo que a maioria deles sejam sites de encontros casuais, o público é mais aberto a relações diferentes e livres. A probabilidade de encontrar um poliamor no site C-date, por exemplo, é muito maior do que em sites e apps massificados como Badoo, Lovoo, MeetMe ou Tinder, por exemplo.

Outro site que você deve evitar são os sites para relacionamento sério por compatibilidade, como Amor e Classe ou Be2, já que os solteiros cadastrados são todas monogâmicos a procura da sua metade da laranja. Definitivamente todo o oposto de um poliamoroso.

Mas, onde você pode encontrar parceiros para criar uma relação poliamorosa? Abaixo apresentamos as melhores opções do momento, onde as chances de encontrar pessoas que compartilhem esse desejo serão grandes. Confira!

   
1

C-date.com.br

· Perfil erótico
· Popular no Brasil
· Segurança e anonimato

4.3
Votos: 525


VISITE AGORA
2

Fuckbook.com

· Funções parecidas a uma rede social
· Público com mentalidade aberta
· Câmeras ao vivo

4.3
Votos: 215


VISITE AGORA
3

Lisa18.com.br

· Equilíbrio entre homens e mulheres
· Contatos compatíveis
· Definição de perfil erótico

4.4
Votos: 393


VISITE AGORA
4

VictoriaMilan.com.br

· Pessoas reais com perfis verificados
· Assinaturas e planos acessíveis
· Botão de pânico e fotos privadas

4.4
Votos: 409


VISITE AGORA
5

AdultFriendFinder.com

· Milhões de membros ativos
· Possibilidade de definir seu perfil erótico
· Comunidade diversificada e fetichista

4.2
Votos: 112


VISITE AGORA
6

Sexlog.com

· Trasmissões ao vivo
· Para solteiros e casais
· Seguro e moderno

4.3
Votos: 235


VISITE AGORA

Poliamor é o mesmo que poligamia?

Não, não é o mesmo. O termo ‘poligamia’ é usado para descrever um homem casado com várias mulheres ou uma mulher casada com vários homens. Ao contrário, o poliamor não está centrado no matrimonio.

Além disso, a possibilidade de ter vários parceiros(as) não se limita a apenas um gênero, nem a apenas uma pessoa dentro do relacionamento.

Poliamor é o estilo de vida dos swingers?

Não, o poliamor não é o mesmo que o swinging (troca de casais) ou casais liberais. Nestes casos existe um casal principal com uma relação sentimental, e é permitido ter contatos sexuais com outras pessoas.

Porém a regra do swing é que o envolvimento seja apenas físico e não é permitido estabelecer outros tipos de vínculos sentimentais. Ao contrário, o poliamor consiste em amar várias pessoas.

Amar significa que não é apenas ter sexo com várias pessoas, mas que haja envolvimento, amor e respeito. Além disso, no poliamor não restringe a relação a um casal principal e que os demais sejam secundários – mas essa opção tampouco é excluída.

poliamor trio
Os poliamorosos não acreditam que “exclusividade é um parâmetro de amor”, nem que eles têm que procurar “a outra metade”. Eles são definidos como abertos no momento do relacionamento e, com o preceito de que a monogamia não é a única maneira de ter um vínculo, o ciúme não acontece entre eles.

O que os poliamorosos pensam sobre a monogamia?

De uma forma geral as pessoas poliamorosas consideram a monogamia uma opção tão respeitável como o poliamor, mas também uma opção que não satisfaz suas necessidades afetivas e/ou sexuais.

Algumas pessoas chegam ao poliamor a partir de uma relação monogâmica estável na qual o casal decide se abrir a outras relações.

Outras chegam ao poliamor depois de viverem relacionamentos monogâmicos que não funcionaram exatamente por sentir necessidade de estar com mais pessoas.

É frequente escutar que quando alguém encontra a pessoa certa não vai querer estar com ninguém mais. Ou que se estiverem em um relacionamento sério e sentirem atração por outra pessoa é porque existe algo errado e o relacionamento não está funcionando como deveria.

Desde a filosofia poli não existe nenhuma razão para que haja apenas uma pessoa adequada. No poliamor as pessoas são conscientes de que podem existir várias ‘pessoas certas’ e que se sentir atraído por outros não quer dizer necessariamente que algo vai mal na relação.

É totalmente natural sentir atração, afeto ou amor por várias pessoas ao mesmo tempo. Isso não significa que você ama menos ou mais, mas sim que você pode amar cada pessoa de forma diferente já que cada um tem o seu estilo único de ser e agrega de forma diferente em sua vida.

A experiência mostra que o amor não é um recurso limitado (mas o tempo sim é, e isso é algo que exige atenção). A filosofia poli elimina essa necessidade, praticamente impossível de satisfazer, de encontrar a pessoa perfeita capaz de satisfazer todas as suas necessidades.

Além disso, no poliamor você tampouco precisa viver com alguém que não te complete por estar dentro dos padrões da sociedade ou, ainda pior, de ser infiel e ocultar relações do seu(ua) parceiro(a).

Como funciona o poliamor na prática?

O poliamor não estabelece uma estrutura fixa e obrigatória para ser definido como tal.

Alguém pode ter dois amantes estáveis que não estejam com ninguém mais, ou com três parceiros(as) que tenham outros(a) amantes, ou dois amantes como relação principal e outro como relação secundária, ou ser bissexual e ter amantes dos dois gêneros, ou estar em um trio no qual todos sejam parceiros de todos e ao mesmo tempo tenham relações esporádicas.

Existem pessoas poliamorosas que vivem com um ou vários de seus amantes, no mesmo quarto ou separados, outras preferem viver em casas separadas, outras que criam seus filhos com duas mães e um pai, etc. Existe uma infinidade de estruturas possíveis no poliamor. Por isso ele é considerado uma forma livre de amar.

Independente da estrutura o importante é o acordo entre todos seja respeitado. Apesar do poliamor ser uma forma livre de amar e estar com várias pessoas, na hora da prática é preciso cuidado e ética para não ferir os envolvidos.

Quem busca um relacionamento poliamoroso?

Não podemos negar que ter um relacionamento poliamoroso é complicado. Logo, sabemos que o poliamor não é algo para qualquer pessoa.

Quem decide levar uma vida poliamorosa não está buscando simplicidade, mas sim uma vida mais plena, que engloba vários aspectos como o sentimental e sexual.

Para que as relações poli funcionem é necessário muita consciência, honestidade e comunicação. Mas nem tudo é tão complicado assim. Viver uma experiência através do poliamor é algo valioso.

Receber carinho, amor e sexo de mais de uma pessoa é uma grande vantagem. Já que você deixa de ter uma relação intima com uma pessoa para ter uma rede de relações intimas, e isso signifique que existe uma rede de pessoas que se apoiam mutuamente quando é necessário.

poliamor significado
Os polamoristas baseiam sua prática na capacidade de se apaixonar e ao mesmo tempo sustentar várias relações emocionais. No poliamor o sexo não é tratado como prioridade, mas sim a conexão emocional.

Quais as regras de uma relação poliamorosa?

No poliamor cada pessoa, ou grupo de pessoas, criam regras e acordos afim de definir o que é esperado da relação e quais os comportamentos são aceitáveis.

Essas normas são muito variadas, já que não existem relacionamentos poliamorosos iguais. As pessoas que participam da relação podem acordar suas condições livremente.

Geralmente a recomendação é que esses ‘princípios do poliamor’ sejam flexíveis e que possam ser revisados a medida que a relação evolui.

Como lidar com os ciúmes do poliamor?

Quem se pergunta ‘o que é poliamor’ pela primeira vez, costuma fazer uma série de perguntas. E a mais comum é: o que fazer para não sentir ciúmes? Na verdade, muitas pessoas poliamorosas podem ser menos ou mais ciumentas.

Em primeiro lugar os ciúmes é um sentimento que deve ser trabalhado interiormente. Tentar entender quais são suas inseguranças e o que gera os ciúmes dentro de você.

Depois o ideal é trabalhar essa debilidade dentro da relação analisando esse sentimento, conversando sobre ele e tentando aprender com ele.

Se você está em um relacionamento monogâmico e seu parceiro ou parceira tem algum tipo de relação sexual ou emocional com uma terceira pessoa, normalmente você verá essa atitude como uma traição.

Isso acontece porque se apaixonar ou ter sexo com alguém fora do relacionamento é uma violação das normas, e também que você estava sendo enganado(a) durante algum tempo.

Como consequência existe a perda de confiança e o medo. Medo de ser traído(a) novamente ou de que o seu parceiro, por n e o medo. Medo de ser traído(a) novamente ou de que o seu parceiro(a), por não poder estar com duas pessoas ao mesmo tempo, te troque pelo amante.

Esse problema não deveria existir em uma relação poliamorosa, a não ser que existe um acordo de relacionamento fechado ou de polifidelidade (o que não é comum). Apesar disso, as pessoas poliamorosas, igual que as monogâmicas, também sentem medos, insegurança e necessidade de sentir-se queridas, reconhecidas e especiais.

Se você estiver em um namoro poliamoroso e sentir ciúmes, além de falar sobre isso, você deve conhecer e passar tempo com a pessoa que está com seu(ua) parceiro(a). Dessa forma vocês podem se conhecer melhor e quem sabe redefinir acordos. Não existem soluções universais no poliamor, cada pessoa e cada relacionamento é único.

poli amor
O ciúme é um sinal de insegurança, de uma frágil auto-estima e dependência emocional. Pode haver amor sem ciúmes, assim como acontece no poliamor.

E como é o sexo no poliamor?

O poliamor é baseado no amor, antes do sexo. O lado sexual, apesar fazer parte da relação na maioria dos casos, fica em segundo plano já que o que o que se busca é a intimidade.

Um exemplo é que as pessoas assexuais também podem ser poliamorosas: o sexo não é uma condição imprescindível para que exista o poliamor.

A honestidade e a confiança necessárias para viver um poliamor são particularmente importantes no que se refere ao sexo seguro. Cada pessoa deve acordar com cada um de seus parceiros(as) quais são as medidas de proteção sexual adequadas, não apenas entre os dois, mas também de cada um com o restante de parceiros do grupo.

Informações detalhadas sobre a saúde sexual de seus amantes é prioridade. Inclusive, nunca é demais realizar exames médicos com regularidade para averiguar se está 100% saudável. Porém, vale reforçar que o sexo seguro é requisito obrigatório.

Os poliamorosos são bissexuais e/ou promiscuos?

Não. Dentro do poliamor existem pessoas de todos os gêneros, identidade e orientações sexuais. O poliamor é uma comunidade muito diversificada.

O poliamor tampouco implica promiscuidade. O sexo pode ser uma parte muito importante nos relacionamentos poliamorosos, ou simplesmente não estar presente. Praticar o poliamor significa estar aberto(a) a ter mais de uma relação amorosa, e não em ter muitos parceiros sexuais, como a maioria pensa.

O poliamor é aceito pela sociedade?

Em nossa sociedade a maior parte das pessoas consideram a monogamia a única opção viável. Para muitos uma relação monogâmica é a única opção ética, principalmente quando falamos de famílias com crianças.

O movimento do poliamor se encontra em uma fase comparável ao movimento gay há algumas décadas. A comunidade de poliamorosos luta por ser mais visível na sociedade e que essa forma de relacionamento seja aceita como uma opção legítima, com os mesmos direitos que os casais monogâmicos.

Atualmente estão sendo realizadas diferentes investigações cientificas sobre o poliamor e sobre os relacionamentos não convencionais.

Existem ideias preconcebidas e frequentes de que o poliamor são é estável e são mais problemáticas, ou que crescer em uma família polia afeta negativamente o desenvolvimento psicológico das crianças que crescem em um ambiente com esse tipo de relação.

Estas pesquisas demostram que essas ideias não têm fundamentos reais.

O poliamor é uma opção minoritária e pouco conhecida. Além disso muitas vezes o conceito de poliamor, por falta de conhecimento, é confundido com relação liberal ou trocas de casais.

O que é um erro, como falamos anteriormente, o conceito é totalmente diferente e a prioridade nas relações poliamorosa é viver o amor na intimidade.

Por essa razão muitos poliamorosos se sentem isolados ou simplesmente não sabem que o que fazem – ou desejam fazer – tem um nome. Também é frequente sentir-se culpado(a) ou inadequado(a) por desejar algo que a sociedade julga como errado.

As pessoas que vivem o poliamor na maioria das vezes não podem compartilhar seus problemas com amigos, já que automaticamente vem o sentimento de punição de que a própria relação poliamorosa é o problema.

A maioria das pessoas mantém suas relacionamentos poliamorosos em segredo, e abrem o jogo apenas para pessoas de muita confiança. Tudo isso para evitar discriminação no trabalho, entre amigos, família ou demais círculos sociais.

Gostou? Dê a sua nota!

4.3
Votos: 7
Caroline Vieira
Mineira. Romântica por natureza. O encontro perfeito tem que ter pão de queijo. Manteiga derretida nos filmes com final feliz. Apaixonada pelo universo das relações humanas. Deixa as emoções fluírem através da pintura e da escrita. Como não entender daquilo que se sente?

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui